Posts Tagged 'vida'

Globo repórter – Saúde, qualidade de vida e dieta

Este foi um programa especial do globo repórter de 35 anos.  Os internautas ajudaram na escolha do tópico e escolheram o tema da saúde.

Eu recomendo a todos a assistirem este programa, entre muitas coisas você vai ver imagens de São Paulo na década de 70 onde praticamente não se via pessoas acima do peso, vai descobrir que Aracajú é a capital mais saudável do Brasil (parabéns aos sergipanos) e vai poder se espelhar em dona Maria, uma senhora com 93 anos e que pratica esportes regularmente e cuida da sua dieta.

Gostou deste post? Leia também:

Os adolescentes brasileiros se alimentam mal

O banco dos gordinhos do metrô de São Paulo

Comerciais de fast food contribuem para a obesidade infantil

Crianças obesas podem ter a idade vascular de uma pessoa com 45 anos

Médicos fazem alerta sobre geração de obesos no país

Obesidade Infantil, Brasil Pode Alcançar EUA

Propagandas, igual a alimentos pouco saudáveis

Obesidade no Brasil – Gráficos

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed
Ou receba as atualizações por Email
Me acompanhe pelo Twiter
Anúncios

5 desculpas que não colam mais

flat_stomach-2

Você está sempre adiando para começar a comer uma alimentação mais saudável? Você sempre espera até segunda-feira para começar uma dieta, ou até que todas as estrelas estejam alinhadas para começar com o pé direito?

É sempre fácil de achar desculpas para começar uma dieta ou para mudar os seus hábitos alimentares e começar a comer uma alimentação mais saudável. Mas em muitas vezes estas razões são de fato apenas desculpas. Tome estas cinco, por exemplo:

1. Eu tenho uma festa em duas semanas, e depois vou entrar em férias. Por isso eu vou começar a dieta depois…

Se você comer de forma sensata e saudável por duas semanas, você vai estar em melhor estado de espírito para fazer uma boa escolha sobre as comidas e bebidas na festa. Mesmo que você ganhe um pouco de peso nas férias, não passe as 2 semanas de antecedência para ganhar peso também!

2. Eu não tenho nenhuma força de vontade. Se há petiscos na casa, eu vou comê-los.

Todos nós temos força de vontade, e ela fica mais forte na medida em que você vai praticando. Se você encontrar dificuldades para obter uma auto-disciplina, basta tirar todos os salgadinhos e doces para fora da casa ou pelo menos colocá-los em algum lugar inconveniente. Isto torna muito mais difícil a sucumbir ao impulso!

3. Eu não tenho dinheiro para comprar comida saudável.

Vamos lá, você sabe que isto não é verdade. Você não precisa pagar caro para comprar alimentos dietéticos, faça uma escolha sensata e compre os alimentos básicos como carne magra, frutas e verduras. Se tiver que economizar basta parar de comprar aquele salgadinho, cafezinho, chocolate, refrigerante ou qualquer outro tipo de alimento que você sabe que não é essencial para sua dieta.

4. Eu não posso cozinhar ou não tenho tempo para cozinhar, por isso eu sempre como fora, e nunca há uma opção saudável.

Essa é simples, aprenda a cozinhar! Compre um livro com receitas fáceis de fazer e que sejam simples e saudáveis, como um molho à base de tomate. Não é muito difícil não, e muitos pratos levam apenas alguns minutos para se preparar. Se o tempo é realmente um problema, tente fazer grandes refeições que possam ser congeladas em porções individuais.

5. Eu fui gordo toda a minha vida, e eu não acho que eu posso mudar.

Não importa por quanto tempo você foi gordo, você sempre pode conseguir mudar os seus hábitos alimentares. De um passo de cada vez, e não sonhe com resultados instantâneos. Tenha como objetivo de adquirir um novo hábito saudável por semana, como parar de beber refrigerantes ou de comer a quantidade necessária de frutas ou legumes por dia.

Agora é a sua vez, qual é a sua desculpa favorita? Se você conseguiu superar um vício antigo, como o fez? Deixe a sua dica nos comentários, com certeza vai ajudar outras pessoas.

Fonte: Dietblog

Gostou deste post? Leia também:

Bons hábitos alimentares dos pais tem pouca influência para os filhos

As 12 principais causas de mortes evitáveis nos Estados Unidos. E você faz parte destes grupos?

Mãe gasta mais de 30.000 reais para se parecer mais como a… FILHA!!!

Médico troca carro pela bicicleta

O que é que a baiana tem?

Seria a barriga de chopp um mito?

Comer é prazeroso para você?

O estresse pode causar aumento no peso

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed
Ou receba as atualizações por Email
Me acompanhe pelo Twiter

Alimentos orgânicos, escolha certa para qualidade de vida

Imagem Robbie Owen-Wahlverduras-organicas

Sabemos que a alimentação é importante para uma vida saudável. Frutas, verduras, legumes fazem parte da lista de alimentos que nos fazem bem. O problema é que grande parte destes, está contaminado por agrotóxicos, que fazem mal a nossa saúde.

Para que você fique apenas com as coisas boas dos alimentos, é importante ingerir os produtos orgânicos, que além de estarem livres dos agrotóxicos, possuem maior quantidade de nutrientes, pois em sua composição há menos concentração de água. Além disso, são mais saborosos e não agridem o meio ambiente.

Muitas pessoas acreditam que existem fórmulas ou produtos que eliminam os agrotóxicos dos alimentos na higienização antes de ingeri-los, porém, por exemplo, mesmo que você lave bem uma maçã por fora, os agrotóxicos já estão em sua polpa, e não só na casca.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com
Gostou deste post? Leia também:

Adoçante: Uso diário pode ser prejucial à saúde

Uma dieta rica em carne vermelha pode aumentar o risco de câncer da próstata

Baixo nível de vitamina D pode estar associado ao ganho de peso em garotas

Como amenizar a vontade de comer doces no inverno

Estudo japonês mostra que o consumo de café diminui risco de câncer de útero

Nutrição funcional pode curar doenças da tireoide

Má digestão causa sono, acne, olheiras, além de constipação intestinal e gordura localizada

Exercício e Glutamina – Metabolismo, imunidade e suplementação

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed
Ou receba as atualizações por Email
Me acompanhe pelo Twiter

Uma dieta rica em carne vermelha pode aumentar o risco de câncer da próstata

Imagem Vito Covaluccicarne-vermelha-tomates

A ligação entre câncer de próstata e o IGF-1 (hormônio que simula as ações da insulina) tem sido claramente demonstrada, graças a pesquisadores da Universidade de Oxford.

Nos estudos, foram compilados resultados de 12 pesquisas já realizadas para avaliar se existe uma ligação entre IGF-1 e o câncer de próstata. No total participaram 3.700 homens com a doença e 5.200 sem. A idade média dos participantes foi de 62 anos.

Existe uma necessidade de identificar fatores de risco para câncer de próstata, especialmente aquelas que podem ser segmentadas como terapêutica e/ou mudanças de estilo de vida.

Agora que sabemos que esses fatores estão associados à doença, podemos começar a examinar como a dieta, e estilo de vida, podem aumentar os riscos e se mudanças poderiam reduzir a chance do homem contrair a doença.

O brasileiro adora churrasco, e muitas vezes desconhece que as substâncias químicas, eliminadas quando queimado o carvão para assar a carne, são em grande parte nocivas à saúde humana e capazes de causar câncer e mutações genéticas. Além dos estudos envolvendo a carne, outros costumes do Brasil também podem aumentar o risco de câncer.

Entre outros hábitos para prevenir o câncer de próstata, eu deixo uma dica de alimentação. O tomate, além de cargas de vitamina C, é uma das mais ricas fontes de licopeno flavonoide – o que lhes confere a sua cor vermelha – e que demonstrou defender o organismo contra o câncer de próstata. Para que tenha esse efeito, é necessário o consumo de 3-4 rodelas de tomate por dia.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com
Gostou deste post? Leia também:

Baixo nível de vitamina D pode estar associado ao ganho de peso em garotas

Como amenizar a vontade de comer doces no inverno

Estudo japonês mostra que o consumo de café diminui risco de câncer de útero

Nutrição funcional pode curar doenças da tireoide

Má digestão causa sono, acne, olheiras, além de constipação intestinal e gordura localizada

Exercício e Glutamina – Metabolismo, imunidade e suplementação

Ninguém engorda por excesso de caloria

Cuide da sua saúde com o chá branco

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed
Ou receba as atualizações por Email
Me acompanhe pelo Twiter

Entrevista – Dr. Turíbio Leite Barros Neto

drauzio-turibioO Dr. Turíbio é membro do American College Of Sports Medicine e Professor Adjunto IV da Universidade Federal de São Paulo. Possui vasta experiência na área de Fisiologia, com ênfase em Fisiologia do Exercício, atuando principalmente nos seguintes temas: atividade física, futebol, exercício, consumo de oxigênio e aptidão física.

Ele participou de uma interessante entrevista com o Dr. Drauzio Varella, sobre exercícios aeróbios e anaeróbios, confira:

DrauzioQual a diferença entre exercícios aeróbios e anaeróbios?
Turíbio Barros – O exercício aeróbio é fundamentalmente ligado ao movimento. A energia necessária para executá-lo é proporcionada pelo uso do oxigênio, ou seja, o oxigênio funciona como fonte de queima dos substratos que produzirão a energia a ser transportada para o músculo em atividade. Caracteriza-se como atividade aeróbia o exercício contínuo, dinâmico e, na maioria das vezes, prolongado que estimula a função dos sistemas cardiorrespiratório e vascular e o metabolismo, porque aumenta a capacidade cardíaca e pulmonar para suprir de energia o músculo a partir do consumo do oxigênio (daí o nome aeróbio). Caminhar, andar, pedalar, nadar, dançar ou fazer qualquer atividade que obrigue a pessoa a sustentar seu peso corporal enquanto se movimenta são exercícios aeróbicos.
O exercício anaeróbio é, por definição, um exercício de força. Para ser realizado, exige que os músculos sejam contraídos contra uma resistência. Na maior parte das vezes, não está associado ao movimento e utiliza uma forma de energia que independe do uso do oxigênio, daí o termo anaeróbio. Basicamente, é um exercício de alta intensidade e curta duração que contempla fundamentalmente os músculos.

Drauzio Dê alguns exemplos de exercícios anaeróbios.
Turíbio Barros – Na área dos esportes, são anaeróbios os exercícios de velocidade de curta duração e alta intensidade, como a corrida de cem metros rasos, os saltos, o arremesso de peso. Se nos reportarmos a área ocupacional, toda atividade que demanda força física em vez de movimento é considerada um exercício anaeróbio.
Na verdade, os movimentos mais comuns do dia-a-dia são um misto de atividades físicas aeróbicas e anaeróbicas.

Drauzio Houve o tempo em que só se falava nos benefícios do exercício aeróbio. Hoje se sabe que ambos, o aeróbio e o anaeróbio, contribuem para melhorar a forma física.
Turíbio Barros – Durante bastante tempo, se preconizou que a única forma de atividade física recomendada era a aeróbia. As pessoas deviam caminhar, correr, pedalar, nadar. Há mais de dez anos, porém, a medicina resgatou a importância do exercício anaeróbio que, na prática das academias, são feitos com peso.
Na verdade, um programa completo de exercícios, necessariamente, envolve os dois tipos de atividade física. A pessoa deve caminhar, pedalar, nadar e fazer exercícios contra resistência para fortalecer músculos, desacelerar a perda de massa muscular e evitar a perda de massa óssea. Mesmo os idosos, para quem se via com preocupação a prática de exercícios de força, devem ser estimulados a fazer exercícios com pesos além dos exercícios aeróbios para alcançarem melhor resultado em termos de saúde e qualidade de vida.

Drauzio O corpo humano é máquina engendrada para o movimento, haja vista o número de articulações, verdadeiras dobradiças, que têm e a disposição dos músculos. Ao contrário das outras máquinas que se desgastam à medida que se movimentam, quanto mais solicitado for, melhor o corpo humano conseguirá exercer suas funções de forma harmoniosa. Por quê?
Turíbio Barros – Durante todo o processo de evolução, o corpo humano teve como necessidade fundamental a interação ativa com o meio ambiente e praticamente todos os sistemas orgânicos mobilizados na produção de energia são beneficiados pelo uso, pela solicitação e pela necessidade de estar em atividade.
É muito fácil demonstrar os benefícios que o uso das funções fisiológicas associadas à atividade física proporciona. Basta lembrar que, quando engessamos uma perna ou um braço, o membro entra em desuso e, como consequência, o músculo hipotrofia, regride. Retirado o gesso, o braço ou a perna estarão fininhos porque perderam de 30% a 40% de massa muscular.
Guardadas as devidas proporções, isso ocorre em todo o organismo. A falta da atividade física faz com que o coração regrida funcionalmente e a condição respiratória fique comprometida.

Fonte: Site Oficial Dr. Drauzio Varella

Gostou deste post? Leia também:

Andar como forma de exercício, qual será a quantidade certa?

Você pensa que 30 minutos diários de exercícios são suficientes para perder peso? Ai vai uma dica, PENSE DE NOVO!!!

Abdominais em pé

Exercícios para todos os gostos

Posições de yoga

Exercícios para os glúteos

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed

Ou receba o nosso Feed por Email

Nutrigenômica: A alimentação baseada no perfil genético

Imagem Brasília em Tempo Real

genetica

Um dos mais recentes estudos na área da nutrição é a nutrigenômica, ou seja, o que você come pode modificar um gene e isso ser passado a outras gerações, o que significa que seus hábitos de vida atuais podem refletir na qualidade de vida de seus netos. Nossas escolhas alimentares podem influenciar a predisposição genética das nossas gerações seguintes.

A Nutrigenômica é a ciência que busca entender como a nutrição compromete o equilíbrio entre a saúde e a doença por meio das mudanças na expressão e/ou da estrutura de um perfil genético individual. De maneira mais simples, pode-se dizer que é o estudo da relação entre o consumo de nutrientes e o código genético.

Cor dos olhos, dos cabelos, altura, formato da orelha, do nariz, cor da pele… Muitas características que distinguem indivíduos uns dos outros são determinadas pela genética.

Estudos já mostram que futuramente poderemos antever o aparecimento de muitas doenças. Conhecendo os nutrientes e seus compostos bioativos, podemos modificar a fórmula genética ou alterar a estrutura do DNA, sabendo que por meio da alimentação podemos desenvolver geneticamente um organismo menos predisposto ao surgimento dessas doenças.

Exemplo disso é o impacto dos flavonóides na prevenção do câncer. Pesquisadores demonstraram pela primeira vez em 1996 que os flavonóides presentes nas frutas cítricas aumentam a expressão dos genes envolvidos no sistema orgânico de defesa contra o câncer.

A nutrigenômica propõe que a alimentação de cada indivíduo seja única e funcional, assim como é o mapa genético de cada ser humano. Alimentos que para um são remédio, para outros são veneno.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com

Gostou deste post? Leia também:

Gorduras também combatem a obesidade – [ômega-3 e ômega-6]

Os prós e os contras da carne vermelha

Dieta dissociada

Dieta do tipo genético

Proteína para os seus músculos

Chá vermelho, o poderoso da família Camellia Sinensis

Se gostou deste post, assine o nosso RSS Feed

Ou receba o nosso Feed por Email

Eu perdi quase 55 quilos

tracey-wygalÉ difícil ver um dia em que você não irá encontrar Tracey Wygal malhando na acadêmia.

A professora Tracey Wygal com 30 anos faz 30 minutos de cardio, exercícios físicos e segue o que ela chama de uma “dieta limpa”.

Isso é uma mudança bastante drástica para uma mulher que há oito anos chegou a pesar 134 quilos.

Wygal começou a ganhar peso na adolescência. Uma dieta composta por fast-food e pouco ou nenhum exercício ajudou a adquirir os quilos extras e seu peso passou para mais de 90 quilos.

“Foi o meu primeiro ano fora do colégio, e esse número (peso), juntamente com o diagnostico que eu estava na faixa de obesos mórbidos foi muito assustador”, lembra Wygal. “Eu fui a vários médicos, para conseguir uma prescrição para medicamentos de perda de peso”.

Mas nenhum dos médicos receitou as pílulas que ela procurava. Em vez disso, um médico receitou uma dieta de 1600 calorias por dia e falou que ela precisava fazer exercícios.

Inicialmente, ela ficou chocada e se recusou a iniciar a dieta que ela pensava que era muito restritiva.  Mesmo que seu peso estava perto dos 140 quilos, ela acreditava que tinha uma boa alimentação e um estilo de vida ativo.

Mas quando ela começou a se sentir mais frustrada e o seu peso continuou a aumentar, ela finalmente decidiu que era hora de tomar controle da sua vida.

Wygal começou a anotar em um diário a quantidade de calorias que ela consumia diariamente e logo percebeu que estava comendo pior do que ela pensava.

“Fiquei espantada com quantas calorias eu estava comendo”, disse. “O diário me mostrou que eu realmente precisava prestar atenção sobre a quantidades de calorias que estava ingerindo e me ajudou a manter a minha dieta”.

Ela também começou a fazer exercícios.  No começo ela estava muito envergonhada para ir a uma academia, por isso ela comprou uma máquina elíptica e começou a treinar 15 minutos por dia em seu apartamento.

“Era tudo que eu podia fazer naquele momento. Eu não desisti”, disse ela. “Gradualmente, a minha resistência melhorou. Depois de perder cerca de 13,5 kg, eu decidi me matricular em uma academia pequena”.

Alguns meses depois, Wygal estava pronta para dar o próximo passo. Ela contratou um personal trainer e iniciou um programa de treinamento.

Em vez de se sentir intimidada, Wygal começou a gostar de fazer exercícios e as mudanças físicas que vinha acontecendo em seu corpo.  Pronto para dar o próximo passo, ela se matriculou em uma grande academia, começou a pesquisar sobre diferentes formas de exercícios e começou a fazer musculação.

Ao longo dos próximos três anos, ela perdeu 54,5 quilos e diminuiu sete números de vestido. Wygal, tem 1,77 de altura, diz que o medo de ganhar peso a motiva para manter-se fiel ao seu regime alimentar e exercícios porque ela nunca quer voltar aos 134 kg.

Agora confortável com o seu peso, ela diz que oscila entre 77 e 80 kg, Wygal malha pelo menos, cinco a seis dias por semana. Ela diz que o segredo para perder e manter o peso é ser honesto sobre o que você come, escrevendo-o e ser consistente. Ela quer que as pessoas saibam que podem perder peso, mas não há uma solução fácil.

“Isso não vai acontecer do dia para a noite”, aconselha Wygal. “Saiba que vai levar tempo, mas no final vale a pena”.

As dicas da Tracey Wygal para obter sucesso:

  1. Mantenha um diário alimentar.  Anote tudo o que comer e beber.  Calcule o total de calorias no final do dia.
  2. Seja consistente com os seus exercícios.  Crie um cronograma. Varie apenas quando for absolutamente necessário.
  3. Encontre um ginásio que acomode ao seu estilo de vida. (horários de funcionamento, opções de equipamentos, aulas oferecidas, etc.)
  4. Mude sua visão sobre a comida. Em vez de equiparar a comida com felicidade ou prazer, veja apenas como alimento ou como combustível para seu organismo continue funcionando.
  5. Seja realista em suas metas e programas. Saiba que vai levar um certo tempo para haver mudanças consideráveis, e não desista nunca!
  6. Pare de dar desculpas e faça acontecer!  Tenha a SUA SAÚDE como PRIORIDADE em sua vida.

Vote no Blog clicando
no banner do topblog
Parceiros

Ajude a Divulgar
o Blog da Dieta

Blog da Dieta

Pegue o código
do banner
<a href="http://blogdadieta.com.br"
target="_blank"><img src="http://i491.
photobucket.com/albums/rr279
/alexmcosta/dieta-banner-120.jpg"
border="0" alt="Blog da Dieta"></a>
Ou se você preferir
pegue o código do link
<a href="http://blogdadieta.com.br"
target="_blank">Blog da Dieta</a>
Interessado em parcerias?
Clique aqui

Me Acompanhe no Twitter @alexmcosta

setembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Grupos do Google
Blog da Dieta
Visitar este grupo